Pesquisas

Opinião médica

O uso associado das duas terapêuticas. Magnetoterapia e Infravermelho longo. juntas ou alternadas, são aplicadas em minhas clínicas dentro do programa chamado "Beleza Plena" que indui desintoxicação, Colonterapia, Magnetoterapia e Infravermelho Longo. Estas técnicas não medicamentosas de terapia, são extre-mamente benéficas. bem a.ita pelos pacientes e a evidência clinica do seu bem estar nos inventiva cada vez mais a recomendar métodos mais naturais, sem os temíveis "efeitos colaterais". 
 
Dr. Luiz Fernando Dockhom Clinico Geral e Cirurgião Plástico CRM/SC 7484 
 

Gotas magnéticas

A equipe de físicos e médicos descobriu uma forma de fazer com que minúsculas gotas - medindo 30 nanômetros de diâmetro - liguem-se a moléculas receptoras localizadas na superfície das células. As gotas são feitas a partir de uma solução coloidal, cada uma delas retendo uma nanoparticula magnética que mede apenas 5 nanômetros de diâmetro. O tamanho de 30 nanômetros das gotículas oferece a geometria cristalina ótima para que elas possam se tomar superparamagnéticas - capazes de serem magnetizadas e desmagnetizadas por um número virtualmente ilimitado de vezes.

Quando expostas a um campo magnético, as próprias gotas tomam-se magnéticas, aglomerando-se pela atração rnagnética que passa a existir entre elas. Isso faz com que os receptores celulares aos quais elas se ligaram também se aglomerem, o que os ativa, iniciando uma série de sinais bioquímicos que influenciam diferentes funções das células. É justamente isso o que os medicamentos fazem hoje. Quando totalmente desenvolvida, a tecnologia poderá gerar novas formas de se controlar a liberação de medicamentos no interior do corpo humano, ou mesmo processos biológicos, como o ritmo dos batimentos cardíacos e as contrações musculares.

Esta é a primeira vez que o magnetismo foi utilizado para controlar sistemas de sinalização biológica específicos, que são normalmente utilizados por hormónios ou outras moléculas naturais ."Esta tecnologia irá nos permitir controlar o comportamento de células vivas por meio de forças magnéticas, ao invés de químicos ou hormônios," diz o Dr. Don Ingber. "Ela poderá representar urna nova forma para fazer uma interface com máquinas ou computadores no futuro, abrindo caminhos inteiramente novos de controlar a liberação de medicamentos, ou para se fazer detectores que tenham células vivas como peças." diz o médico. 
 
A aplicação do Infravermelho longo, melhora o sistema cardiovascular, reduz os niveis de triglicerídeos, sintetiza o bom colesterol e evita formação de placas de ateroma. O ritmo de sono se normaliza e a produção de melatonina e serotonina são estimuladas, podendo desacelerar o processo de envelhecimento, abrigo caminho para longevidade saudável. 
 
Dr. Guilherme Oberlaender de Almeida - Mestrado em Ciências Médicas pela UFSC.